Opinião de Walmari Vilela - Não ao STJD. Sim ao Tribunal do futebol
por Walmari Vilela em 1/9/2014
Há muito tempo que contesto a existência do Tribunal de Justiça Desportiva porque não vejo em suas decisões nada que contribuam para uma melhoria do futebol. Basta que se pare para pensar no julgamento do caso Portuguesa x Fluminense e Flamengo x Vitória, duas decisões eminentemente políticas como é este órgão que só tem justiça no nome.

Dizem: puniu a Portuguesa, um dos pequenos e puniu um grande, o Flamengo. Foi, puniu. Puniu o Flamengo porque os pontos subtraídos não eram suficientes para rebaixar o rubro-negro. Se fosse, o STJD (seus doutos auditores) encontraria outra forma política para solução dos dois casos. É assim, sempre.

Aqui em Alagoas, o Tribunal de Justiça Desportiva encontrou a sua forma de julgar Julio Cesar, goleiro do CRB, expulso no clássico com o CSA. Uma comissão puniu o árbitro Francisco Carlos Nascimento e aliviou para o jogador. Chicão recorreu da decisão e outra comissão o absolveu com goleada de 5 a 0.

O TJD, no caso, não queria punir Julio Cesar e a forma política seria a encontrada: uma turma puniu Chicão e aliviou Julio Cesar e na apelação, a outra turma absolveu o Chicão. Quer dizer: o TJD não queria penalizar Julio Cesar e só poderia fazer isso penalizando Chicão no primeiro julgamento e o absolvendo no outro. Assim foi feito.

Os julgamentos são sempre assim, políticos, tanto é, que a diretoria do Botafogo da Paraiba está apelando para que o governador Ricardo Coutinho entre na jogada e ajude o clube a se livrar da ação do STJD, que cabe recurso (a pena aplicada ontem só começa a ser cumprida com a publicação do acordão).
Reconheço que os clubes erram e o Botaogo beneficiou-se de uma ação de um torcedor seu mas acho que está na hora de acabar com Tribunal de Justiça Desportiva e criar o Tribubal do Futebol, com agilidade e práticas diferentes. Também sei que só isso não vai acabar com os desmandos no futebol mas vai melhorar.


A REFORMA QUE NÃO VAI ACONTECER

O que há de errado no futebol brasileiro (em campo) será eliminado copiando tudo que os alemães fazem porque nos golearam de 7 a 1, assim pensa a maioria que antes achava que deveríamos copiar os espanhóis.

Não temos mais craques e só o Neymar é pouco, afirma-se. Tem verdade nisso mas não vejo verdade em se dizer que os nossos jogadores que disputaram a Copa estão abaixo de todos os alemães ou espanhóis porque todos eles permanecem titulares nos mesmos clubes em que jogavam antes do Mundial.

A reforma, que não vai acontecer, deve ser fora de campo. Lá dentro, técnicos e jogadores sabem resolver. O que acontece no campo é reflexo do que os dirigentes fazem fora dele. A questão é outra, é de mentalidade, é de compromisso com o futebol e não de interesse corporativo e pessoal acima do interesse do clube, do futebol, como ocorre hoje.


QUE VANTAGEM LEVA O FUTEBOL?


Quem leva vantagem quando o STJD tire um time de um campeonato com a competição em pleno andamento, como ocorre agora com Botafogo e Icasa? Isso só traz prejuízo ao futebol. Mas o CRB subiria na classificação com a saída do Botafogo. Sim, subiria mas o CRB tem que conseguir isso em campo e tem time para subir à série B mas em campo.


O problema é que todos querem levar vantagem em tudo e futebol é um jogo, como em todo jogo, nem sempre se ganha. Como todos querem ganhar e ninguém admite perder, o futebol sai perdendo, sempre. E, quando os times vão bem em campo como Grêmio e Santos que fizeram um jogão, aparecem alguns e melam tudo com ações de racismo. Onde vamos parar?

primeira página | voltar | cometários | imprima esta notícia

Deixe seu comentário.

Aguardando o seu comentário...

21/11/2017

GALERIA

LINKS

OFERECIMENTO






ACDA - Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas
2017 © Todos os direitos reservados