Entrevista com o cronista - Fernando Murta
por Assessoria em 29/11/2013
O site da ACDA entrevista o jornalista Fernando Murta.

Confira nossa entrevista com o polêmico Murta


1 - Pergunto: Sobre seu início de carreira. Onde iniciou?

Como escuta de plantão esportivo, na Gazeta AM/MCZ.

Em que ano?

1979

2 - Como foi sua chegada a rádio difusora?

Concurso público.

3 - Qual sua opinião em relação ao "jabá" na imprensa esportiva?

Condeno e acho que qualquer tipo de “jabá” depõe contra a honorabilidade de quem o aceita. Na mídia credibilidade é tudo. No momento que alguém é descoberto comendo “bola” está com a carreira em perigo.

Já recebeu alguma tentativa de jabá?

Já e recusei de imediato. Era repórter da TV Gazeta – na época a única que fazia esporte, ou seja, ou o cara aparecia lá ou não aparecia –, então, um dia, ao sair do Rei Pelé, um Presidente de clube colocou a mão sobre os meus ombros e perguntou o que eu queria. Respondi na lata: “A sua amizade, Presidente”. Aí ele disse: “Mas não é disso que eu estou falando, quero saber se você está precisando de alguma coisa”, ao que respondi: “Obrigado, Presidente! A sua amizade me basta”.

Outra vez um outro Presidente de Clube pediu para eu passar no estabelecimento comercial dele. Fui lá pensando que era notícia. Esperava por mim uma bela camisa como presente de Natal. Acho que fui até deselegante ao recusar o mimo. Ele ficou sem entencer, porque outros já haviam aceitado.

Mais um caso. Quando trabalhava na TV Pajuçara fiz uma matéria sobre vacinação de animais em uma farmácia que estava vacinando os bichos gratuitamente, em um dia de sábado. Ao final da matéria o dono da drogaria me chama à sala dele, mete a mão no bolso, tira um bolo de dinheiro e estende para mim. Perguntei o que era aquilo. Ele disse que era o pagamento pela matéria. Respondi que estava cumprindo a pauta e que não cobrava por matérias. Ele ainda insistiu dizendo que era apenas um agrado e eu, polidamente, voltei a recusar.

A última tentativa de suborno que me lembro foi também na época da TV Gazeta Havia surgido um bingo em Maceió. Era legalizado e fiz uma matéria a respeito do tema. O empresário me procurou depois e ofereceu um carro para que eu “desse uma força” na divulgação. Respondi que estava feliz com o meu fusquinha 1983 e que não poderia aceitar. É o que me recordo no momento.

4 - Como começou o amor pelo rádio?

Narrando futebol de botão quando jogava. Um dia, indo para escola e conversando com um colega a respeito de um gol que havia acontecido em data anterior, narrei para ele a jogada. Ele olhou p’ra mim e disse: “Rapaz, você leva jeito para ser ‘speaker’”, que era como os narradores eram chamados antigamente. Tinha 11 anos e aquilo entrou na minha cabeça. Aos 14 já andava batendo à porta de muitas emissoras de rádio e, claro, levando sonoros “foras”, afinal era um adolescente “metido a besta” querendo entrar em um seleto clube que era o rádio de Maceió nos anos 1970.

5- Qual foi à partida ou acontecimento que mais te marcou como comentarista?

Sinceramente, atuando como comentarista não lembro de nada que mereça ser citado. Sou muito exigente. Rsssss

6 - Qual sua opinião em relação ao rebaixamento do ASA para série C em 2013?

Foi merecido pelas inúmeras falhas e a inocência da diretoria. Foram enganados na “cara dura” e aceitaram tudo pacificamente.

7 - O que você pensa sobre os jornalistas que muitas vezes escondem o time de coração com medo talvez do relacionamento com as outras torcidas?

Respeito. O futebol é paixão e quando sabem para que time você torce, qualquer coisa que diga logo é colocada em suspeição, com aquela frase pronta: “Esse cara só tá falando isso porque torce para clube tal”.

8 - Quais os benefícios e malefícios que a Copa de 2014, pode trazer para nosso país?

Benefício: divulgação do país.

Malefícios: desvio de dinheiro público, superfaturamento de obras, aproveitamento político e aumento da prostituição – as “meninas” viajam pelo mundo acompanhando eventos importantes. Onde tem dinheiro elas estão lá.

9 - Como surgiu o Blog do Murta?

Através de um convite do Futebolalagoano.com.

10 - Qual sua expectativa em relação ao futebol de Alagoas em 2014?

A pior possível. Interesses políticos acima de qualquer coisa, desrespeito ao público e às leis, além de muito amadorismo por parte de quem comanda. Como afirmou Telê Santana: “Futebol não é coisa para homem de bem”.

11 - Como avalia o atual momento do rádio esportivo alagoano?

Vejo gente talentosa, mas ainda faltam cabeças pensantes como Márcio Canuto, por exemplo. Os mais novos estão sem ter a quem ouvir para aprender um pouco mais.

12 - Deixe sua mensagem final para os internautas do site da ACDA

Ao tomar conhecimento de uma notícia procure saber o que existe por trás dela, se é direcionada e se tem alguém que irá tirá proveito próprio da informação. Um abraço a todos e foi um prazer participar.

primeira página | voltar | cometários | imprima esta notícia

Deixe seu comentário.

Aguardando o seu comentário...

20/11/2017

GALERIA

LINKS

OFERECIMENTO






ACDA - Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas
2017 © Todos os direitos reservados