ACDA - Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas

Data da impressão: Sábado, 21 de julho de 2018
Horário da impressão: 14:46
Imprimir Novamente
ACDA lamenta o falecimento de José Marques de Melo
A Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas (ACDA) vem a público lamentar a perda irreparável do professor José Marques de Melo, que veio a óbito na tarde desta quarta-feira (20), aos 75 anos, vítima de um infarto em sua residência, no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

Ele era natural da cidade Palmeira dos Índios, cidade conhecida como Princesa do Sertão, localizada a cerca de 130 km de Maceió. O professor Melo – como carinhosamente era chamado – iniciou sua vida estudantil no antigo Primeiro Grau do Grupo Escolar Padre Francisco Correia e no Ginásio Santana, ambos localizados na cidade de Santana do Ipanema, situada no Sertão alagoano. 

Em seguida, cursou o Segundo Grau – hoje Ensino Médio – nos Colégios Batista Alagoano, em Maceió; e no Americano Batista, este último localizado na capital pernambucana. 

José Marques de Melo se graduou em Jornalismo na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) no início da década de 60 do século passado, mais precisamente em 1964; e, no ano seguinte, tornou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). 

Em seguida, partiu para uma pós-graduação em Quito, no Equador, no Centro Internacional de Estudos Superiores de Comunicação para a América Latina, onde adquiriu o título em Ciências da Informação Coletiva. No ano de 1973 ele se tornou o primeiro Doutor em Jornalismo titulado por uma universidade brasileira.

José Marques de Melo pertencia ao que ele denominava de Diáspora Caeté. No livro Cidadania Glocal, identidade nordestina (2011), Melo explicou que a citada diáspora se tratava de um “grupo de exilados, que não encontraram ambiente propício para crescer intelectualmente na terra natal, tendo que lutar pela sobrevivência em outros territórios da geografia nacional, sem perder a identidade caeté”.



Autor: Ascom/ACDA